9 de mar de 2013

Minha história, meu conto!


Perguntaram-me certa vez, se eu acreditava em contos de fadas, logicamente respondi que não, mas se formos parar para pensar na hipótese, percebemos que nossas historias podem sim ser consideradas um conto, não da mesma forma, aquela, típica dos filmes de romance, mas podemos montar nosso próprio conto. Primeiramente, deixe-me explicar, conto é uma estória que cria um universo, de seres e acontecimentos de fantasia ou imaginação, dito isto, é hora de adaptar...

Um conto de fadas moderno. Não sou eu a única responsável por criar meu futuro e deixar histórias no meu passado? Pois bem, esse é meu conto, devem estar se perguntando, mas, e a fantasia? O universo de imaginação? De seres? Todos eles continuam incluídos. Ainda não conseguiram ver? Vou dar uma ajudinha.

Quando, mesmo sem sono, deita-se na cama, coloca os fones de ouvido, suas músicas preferidas e fecha os olhos, depois disso, mergulha em um mundo que nem mesmo você consegue explicar. Nos impressiona a capacidade que tem o ser humano de imaginar, criar, fantasiar situações que não vivemos, um abraço de alguém querido, uma conversa que ainda não se teve, reprisar uma troca de olhares e gestos, e até mesmo dar replay em cenas já vividas e pensar nas respostas perfeitas que agora se tem, que na hora não foram ditas, os projetos, os sonhos, as saudades, e tantos outros pensamentos, todos eles constroem e fazem da nossa realidade um conto, e sem tirar a fantasia, que no nosso caso se aperfeiçoa como a própria esperança, de viver e realizar boas coisas.

Nós exteriorizamos aquilo que pensamos e sonhamos, quando quero movimentar algum membro, por exemplo, minha mão, eu penso, meu cérebro capta meus sentidos, envia as informações para os músculos que realizam a ação, tudo isso em questão de segundos, à nossa visão imperceptíveis. Da mesma forma acontece na nossa vida, as paginas passadas já foram rabiscadas, a de hoje, esta quase no seu final, mas a de amanha, está em branco, preciso sonhar, imaginar, planejar, deixar o cérebro abastecido de informações, sobre o que vou escrever nela amanhã, porque surpresas certamente podem acontecer, mas tendo um roteiro, fica bem mais fácil de evitar aquelas tão desagradáveis. Então, esse é nosso conto, nossa própria historia, que por mais boba que pareça, se transcritas a um caderno, certamente daria um bom livro.

Você também faz parte de um conto, imagine, fantasie, deixe sua vida mais divertida, e seja a própria protagonista do seu livro!



2 comentários :

  1. Lindo texto!
    Há tempos estava querendo ler algo assim, muito legal mesmo e verdadeiro!
    Sucesso ao seu blog querida, adorei!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui