2 de nov de 2012

Meu querido diário!




Chega uma hora em que tudo na sua vida muda, você percebe que não é mais aquela mesma menininha de antes, que já não gosta das mesmas coisas, que já não ouve as músicas, que antes eram suas prediletas, se acha tola ao ver as fotos antigas, e se tinha diário então... É, diário, eu já tive um, e hoje, me arrependo de não ter escrito meu dia a dia nele, ainda tenho a lembrança de quando ganhei meu primeiro, aquele cadeado junto com as chaves, me fazia  sentir a pessoa com mais privacidade do mundo, porém, não era muito de escrever, gostava mesmo de viver, de sentir a alegria, de correr na rua e aproveitar aqueles momentos que marcaram e fazem parte da minha história. Pois bem, quisera eu, ter escrito os meus dias naquelas folhinhas que pareciam não ter fim, seria bom, ler hoje, e poder reviver, mais de perto, o que um dia já vivi, seria bom, poder perceber o quanto já “cresci”, no sentido de amadurecer, porque em tamanho mesmo, melhor deixar esse assunto pra lá, e relembrar detalhes que muitas vezes nossa memória não armazena.
Meu querido diário, hoje, peço-te desculpa por não ter tido a sabedoria de valorizar o que estava em minhas mãos, e pensar, que poderia está revivendo momentos maravilhosos da minha vida. Agora, eu decido escrever, contar minhas histórias e ao mesmo tempo exteriorizar o que se passa dentro de mim, pois aprendi, que na maioria das vezes, sou melhor escrevendo do que falando.
Meu querido diário...


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui